domingo, abril 22, 2012

HISTÓRIA: DIFERENÇAS CULTURAIS ENTRE ÍNDIOS E BRANCOS


DIFERENÇAS CULTURAIS ENTRE ÍNDIOS E BRANCOS

A globalização ocorrida no final do século XX, que largueou tanto no âmbito cultural, econômico, social e político, fez com que o mundo tornasse-se numa Aldeia global.
Originou um entrelaçamento cultural entre diversas nações e sobreveio uma convivência cultural com mais pluralidades e tradições, que jamais ponderou acontecer e tornar-se tão conexos, instituindo com isso num Mosaico Cultural.
Referente ao multiculturalismo que está acontecendo dentro de várias Tribos na Amazônia, principalmente nas "Aldeias Ticunas". Aludimos como características a não aceitação de pintares  os gargalos (pescoço) com Jenipapo para a voz ficar grossa por parte de alguns jovens indígenas. Essa cultura é sobrevinda de geração para gerações.
Os contatos com outras culturas aproximam-se essas Tribos com o  homem branco e interligando um mundo que antes eles não acolhiam e conheciam. Esses acontecimentos estão desvirtuando as tradições indígenas do seu habitar original, apresentando outro estilo de vivência para o seio das sociedades indígenas.
São denodos desconhecidos entre os habitantes destas Tribos, criado com isso convencionalismos e transformando jovens indígenas. Citamos como exemplo uma entrevista concedida para o periódico a folha, jornal da capital paulista, o Índio Darcy Ribeiro Murati, 40 anos, destaca a homossexualidade entre índios de sua TriboConhecida por Ticuna”.
Isso é novidade para eles. Não víamos indígenas assim, agora alargam, desenvolveu-se em todas as comunidades a introdução de costumes urbanos nas nossas Tribos, são jovens de  15 anos”. Inserindo aos apegos culturais das civilizações urbanas. 

Problemas como o uso de drogas, álcool, a busca nas cidades por serviços e festas populares, pintando o cabelo e outros apetrechos encontrados nas culturas urbanas, vêm transformando e trazendo preocupações aos chefes dessas Tribos. No entanto os chefes tribais até agora não encontraram soluções para apaziguares estes problemas. 

Ao entrarem em contanto com o mundo incógnito, e participando de culturas com tradições diferentes. Eles anseiam vivenciarem esses costumes de vida, modificado ao mesmo tempo seu jazer. Os chefes destas tribos estão perdendo o comando e consequentemente a  autoridade diante desses imaturos índios, além disso são pressionados para deixarem os seus habitares devido aos novos experimentos com outras civilizações. 

Porém a sociedade brasileira tem sua parcela de culpa, ao estabelecer contato com esses nativos, não prepararam de maneira cultural esses indígenas para o convívio de outro modo de existência. Costumes e tradições culturais urbanas foram inseridas nessas tribos, onde destacamos:

O uso da televisão, parabólica, rádio e do celular. Entretando toda essa parafernália tecnológica criaram exigências e originaram expectativas nesses povos, principalmente reivindicações, poucas atendidas. Criando algumas vezes uma paralaxe cultural e levando ao esquecimento hábitos de seus origens. Esse presente vivido através desse multiculturalismo segundo o antropólogo Darcy Ribeiro existiam desde os meados do século XIX, porém em escala menor.  

Entretanto para Olavo de Carvalho a relação com outras culturas criam  sensações diferentes e transporta aquilo que ele sente para uma análise evidente de sua cultura em relação às demais. Cada povo deve defender suas tradições e não deixar que outras culturas venham transcender o marco estrito da sua própria cultura. 

A indução de outras culturas por parte de um membro, é muitas vezes concebida como desvio ou falta de conhecimento, sendo que o multiculturalismo é uma ameaça para determinadas culturas. Visto que ele já nasce com tradições e formação cultural e social,  são desenvolvidos economicamente dentro do seu habitar inserido. 

Conseqüente  a esses fatos que observamos que a existência de culturas diferentes é convivialmente aceitável desde que não transcenda a originalidade e os costumes e hábitos de outra cultura 

Portanto o monoculturalismo é ligado ao nacionalismo e tende a assimilação de sua cultura a imigrantes nos países na qual o acolhe. Qualquer indivíduo tem direito de escolher o que lhe convier desde que estabeleça uma relação de concordância e padrões definidos no meio em que vive. No Brasil é um pouco complexo, visto que houve uma miscigenação de povos onde existem entrelaçamentos culturais devido à colonização.  

Segundo BORDONAL (2008, p.124)

Tem se duas interpretações diferentes para o termo cultura. Ela pode ser entendida como processo de formação individual em que o sujeito é preparado e educado para acumular determinadas informações que o enriquecem; em um segundo momento a cultura coletiva no sentido de povo. 

Ao falarmos em cultura estamos falando de povos, religiões, políticas e tradições, multiculturalismo e monoculturalismo, cada tribo com suas peculiaridades, cabe a cada indivíduo no seu cognitivo saber assimilar e cotejar os valores intrínsecos, daquilo que é diferente pare ele, se vale a pena ou não assimilar e por em prática, mais não deturpado os valores inseridos em sua cultura original.

Autor Professor: Plínio Farias

REFERÊNCIAS


http://www.olavo/decarvalho.org/semana/061219dce. html

ESTE VIDEO FOI EXTRAÍDO DO YOUTUBE:
  video

Nenhum comentário:

Postar um comentário